sexta-feira, abril 21, 2017




enterra-me em ti
são as horas da delinquência
horas da longa caminhada da volúpia
enterra-me em ti
há o grito que chora
nas mãos a sede do corpo
enterra-me em ti
manhã submersa
em conversa de desejo
enterra-me em ti
confissão de beijos
murmúrios de torturante prazer
enterra-me em ti

Sem comentários:

Arquivo do blogue