quarta-feira, dezembro 21, 2016

a maravilhosa puta de vida dos portugueses or I for as notícias falsas na TV or C for o universo do tuga merdoso é pequeno comó catano!

"quando toda a gente se sente muito sensível e muito querida, a trocar postalinhos de renas e mensagens de amor nas redes sociais o que estamos a ver é dos maiores horrores do nosso tempo"
Rodrigo Guedes de Carvalho, jornalista 


Foto Magnus Wennman 

Walaa, 5 anos, Campo de Refugiados Dar-El-Ias
 Beirute, Líbano.

Desde 2011, cerca de 4 milhões de Sírios foram forçados a abandonar os seus lares. Metade deles são crianças. 
O fotógrafo sueco Magnus Wennman fotografou refugiados Sírios em diversos campos no Médio Oriente, principalmente fotografou crianças. Um projecto a que deu o nome de "Where the Christmas Sleep ". 


Carta de Walaa

 se com o meu olhar
de menina triste pudesse
eu dizer do frio das lágrimas
 da tristeza dos meus olhos
não posso dizer mais que silêncios
entre as manhãs
e o tempo há uma solidão
se esticasse o braço, estaria contigo
assim perceberias o meu olhar.

aqui não há natais,
brinquedos,
não há mães ou pais,
não me perguntes quem sou.
chuva, frio, desespero, tristeza
é o meu nome.
não posso suportar.
não consigo suportar. 
hei-de escrever-te sempre 
até que te lembres
que há mais que os teus,
os teus filhos.

não sou uma criminosa,
não sou uma invasora,
não sou uma menina má,
não quero invadir ou tomar o teu lugar
não falo contigo estou longe
sei que existem aí casas
com calor e comer para crianças
iguais a mim, dizem-me.

que sei eu?
porquê eu?
que fiz eu de mal?
(tristan reveur)

E assim lançamos mais um lixo tóxico, um post escrito neste blog vai para uma ano, mais ou menos por esta altura. O Natal. Uma repetição!
O que foi que mudou desde o dia em que falamos na Walaa até hoje? Nada!


Na Atualidade:

Os vídeos de gente desesperada em Alepo, são mostrados timidamente pela comunicação social, muito mais interessada em mostrar as comprinhas do Natal português, as notícias de um presidente da República meio desaparafusado, a beijar os pequenotes, as velhotas no asilo, os dichotes mais ou menos brejeiros ditos à mistura com risinhos que o português gosta, e ele sabe que o tuga gosta daquilo, olá se sabe.Entretanto, há um pai natal, uma história fabricada nas redes sociais, a quem lhe morreu uma criança de cinco anos nos braços. O pai Natal comovido, chora. É verdade? É MENTIRA!

A notícia do pai natal, torna-se viral no facebook, vai daí as televisões, já a cheirarem o sucesso da coisa, passam-na nos jornais televisivos. A malta tuga comove-se imenso, somos portugueses, temos coração, choram meia dúzia de lágrimas, enquanto acariciam as cabeças dos filhotes, pensando nos presentes comprados e guardados, para aparecerem via pai natal ou menino de jesus nas palhinhas deitado. Horas depois já esquecidos, vão até ao Instagram e lá está 
o comovente pai natal, choroso com a morte da criança. O tuga comove-se, coitado do tuga. A notícia foi dada em todos os canais de televisão e até houve gente que não conseguiu ver as imagens do pai natal comovido, a contar a história do menino que lhe morreu nos braços. Verdade, só pode ser verdade! E não é!

Como diz Rodrigo Guedes de Carvalho, pivot da Sic : 
"O pai natal comovido, trata-se de uma ignóbil mentira, uma fabricação que pretendeu jogar o jogo, para ver se aprendemos: pretendeu mostrar-nos que engolimos tudo o que vem nas redes sociais porque a Internet é o nosso novo guru, que comanda inclusivamente as modernas televisões"

Os vídeos de gente desesperada em Alepo, continuam escondidos na gaveta dos ditos "Tele" jornais. O desespero, o pedido de ajuda, não faz chorar ninguém, nem dá audiências. Podias ser tu, ou a tua família, ali. Não mostram. Não interessa. Fui claro? As audiências mostram aquilo o que tu queres ver. O que tu queres ver
E o que é que tu queres ver? Coisas que não te incomodem. Casas dos Segredos. A loucura total. No More No Less. Ainda não percebeste?
O que vales é Zero. Zero! És um Zé Ninguém e como zé ninguém, tens direito às notícias que fazem de um zéninguém, um zé ninguém contente.
Esse é o teu mal, zé ninguém! 

E as notícias?  
EM Alepo Centenas de Milhares a fugirem da Guerra, da Destruição.
Gente com filhos nos braços a pedir ajuda, a fugirem sem saber para onde.
O Horror é-te poupado. Se o contas a algum teu amigo, és até capaz de ouvir coisas inteligentemente brilhantes como eu já ouvi:
- "Lá vens tu com as tuas coisas"
- " eu vejo o jornal na TV, acredito. ou vamos acreditar em quem?", ou pior ainda: "eu quero lá saber disso".
Ai! zé ninguém! Cada vez estás pior!
E não tens cura!

Arquivo do blogue