segunda-feira, dezembro 29, 2014

Marcelo Rebelo de Sousa - Nº1 - ex aequo Top de Irritações Tugas - Atribuição de Prémios Irritações a Personalidades Tugas de 2014


Um merdas é um gajo a quem saiu o Euro-milhões dos egos. Um gajo que diz mais vezes num dia a palavra “Eu” do que a Cicciolina disse as palavras “Oh sim” ao longo de toda a sua carreira. Um merdas é, no fundo, uma espécie de cueca de gola alta rota com a mania que é um boxer Armani.

Para um merdas, as suas palavras valem ouro, o seu rosto é feito de diamantes e os seus passos só fazem sentido por sobre um corredor de prata com passadeira vermelha.
(Pedro Chagas Freitas)


Marcelo Rebelo de Sousa - O Merdas nº1 
(ex aequo com Ricardo Carriço)

A maior virtude que um bom comentador deve ter é o carácter. É fundamental.

Marcelo não tem carácter.
Tem aquela maneira de falar, alegadamente, à "tia" de Cascais:


pa dezer a minha maior ambição política é ser presidente da república, o piqueno (referindo-se a José Sócrates) seria  um a alvo abater, pecebe? 
a bemdezer assim é!!!
Marcelo Rebelo de Sousa

Judite Sousa, que tem Marcelo Rebelo de Sousa à sua frente e não precisa portanto de chamar por ele, fez-lhe ontem vinte e duas vénias em forma de título académico: Marcelo - profere ela, num ritual sincopado - é o "Professor". Isto acentua a aura do visado: podia ser violinista ou ourives, mas não seria a mesma coisa. Prestamos tributo às formas de tratamento com ancestral desvelo: o verniz de modernidade não resiste a dois minutos de televisão.
 Pedro Correia

Marcelo Rebelo de Sousa é uma personalidade sem paralelo na política portuguesa. A única neste momento capaz de alargar as margens do centro-direita, dispensando intermediários para comunicar com outras áreas políticas sem nunca perder de vista o ponto de partida.
Os teóricos da actual maioria que sonham com Durão Barroso, Rui Rio e até Assunção Esteves (pasme-se!) como possíveis candidatos presidenciais em 2016 por recearem o carácter sempre imprevisível e irreverente do mais conhecido professor de Direito do País estão a ver o filme todo ao contrário.
Qualquer projecto presidencial que exclua Marcelo é um troféu antecipado de vitória para a esquerda na próxima corrida a Belém.
Pode Paulo Rangel ter ficado de "sorriso amarelo" ao ouvir Marcelo dizer num jantar de apoio à Aliança Popular que "tenciona" (atenção ao verbo) votar nesta coligação pela consideração que lhe merece Jean-Claude Juncker, candidato do Partido Popular Europeu à presidência da Comissão Europeia, omitindo os nomes dos portugueses.
Pode Nuno Melo ter ficado "branco e inerte" ao tê-lo ouvido elogiar Freitas do Amaral, como relata a Ana Catarina Santos neste saborosíssimo texto publicado no seu blogue.
Podem as sumidades dos aparelhos inventar as alternativas que quiserem na desesperada recusa de enxergarem o óbvio. É inútil: PSD e CDS estão reféns de Marcelo.
E quem não perceber isto não percebe nada.

 Pedro Correia, in Delito de Opinião

Fosga-se!!!



Frase do Dia - José Sócrates

“Ainda têm o desplante de falar em ‘perigo de fuga’. ‘Perigo de fuga’?! Mas que gente é esta, Mário Soares?”
José Sócrates, em carta escrita da prisão para Mário Soares.

Não te deixaremos morrer David Crocket.

hora do vinil - the temptations - aint too proud to beg

Love with Eyes Closed by Andreas Heumann 


"Mon amour, peu importe que je sois né : tu deviens visible à la place où je disparais."
René Char

Como se a tua voz agora
antigamente me chamasse
e tudo, menos a tua voz, faltasse
fora da minha memória
Manuel António Pina

AINT TOO PROUD TO BEG

hora de ponta

Shunji Okura  -  Emma (1971)

She ‘s mad but she’s magic.

There’s no lie in her fire.

charles bukowski

terça-feira, dezembro 23, 2014

get up out of your chairs, open the window, stick your head out, and yell, and say it: "I'M AS MAD AS HELL, AND I'M NOT GOING TO TAKE THIS ANYMORE!"

Voz: Peter Finch(Howard Beale)

Monólogo extraido do filme "Network" (1976)
Um filme de Sidney Lumet
Os bastidores de uma cadeia de televisão

Howard Beale: [laughing to himself] But, man, you're never going to get any truth from us. We'll tell you anything you want to hear; we lie like hell. We'll tell you that, uh, Kojak always gets the killer, or that nobody ever gets cancer at Archie Bunker's house, and no matter how much trouble the hero is in, don't worry, just look at your watch; at the end of the hour he's going to win. We'll tell you any shit you want to hear. We deal in illusions, man! None of it is true! But you people sit there, day after day, night after night, all ages, colors, creeds... We're all you know. You're beginning to believe the illusions we're spinning here. You're beginning to think that the tube is reality, and that your own lives are unreal. You do whatever the tube tells you! You dress like the tube, you eat like the tube, you raise your children like the tube, you even think like the tube! This is mass madness, you maniacs! In God's name, you people are the real thing! WE are the illusion! So turn off your television sets. Turn them off now. Turn them off right now. Turn them off and leave them off! Turn them off right in the middle of the sentence I'm speaking to you now! TURN THEM OFF...

 "I'M AS MAD AS HELL, AND I'M NOT GOING TO TAKE THIS ANYMORE!"

Frase do Dia - Isabel Moreira

O Natal é a época do ano em que os mortos começam a gritar

Isabel Moreira em "Barca do Inferno" na RTP Informação

foto de  Jerry N. Uelsmann (stairway to heaven)

domingo, dezembro 21, 2014

God is in the house - Nick Cave & The Bad Seeds

Manisfesto contra a Privatização da TAP - Diz Não à Privatização da TAP




«Somos um país com responsabilidades para com a imensa diáspora de cinco milhões de portugueses, dispersos pelos cinco continentes, e para com os que vivem nos Açores e na Madeira, mas também para com os cidadãos das antigas colónias, na América Latina, em África e no Oriente, um espaço de 250 milhões de falantes da mesma língua: o português.
(...) Se a decisão de privatizar tudo e a todo o custo não obedecesse a um plano para afastar o Estado da economia (e, na floresta dos interesses, sem o Estado, o mercado transforma-se numa selva), o Governo devia ter aprendido com as recentes, graves e desastrosas privatizações de sectores estratégicos da nossa economia - que representaram, também, uma alienação da nossa soberania. Os que alimentam o mito conveniente de que os privados nos libertam dos riscos da má gestão pública deviam, no mínimo, sentir-se abalados pelos casos do BPN (os gastos com a intervenção no BPN cobririam mais de 40 vezes a dívida da TAP), do BES ou da PT.
(...) A TAP é património nacional. E o Governo, qualquer Governo, não pode dispor do património do país como se fosse dele. O Presidente da República tem, por isso, nas mãos, e os portugueses, enquanto cidadãos, têm na voz com que podem exprimir o seu protesto, os instrumentos para travar esta decisão danosa para o interesse nacional. (...) Um país que entrega tudo à iniciativa privada, fica privado de iniciativa.»

Do Manifesto contra a venda da companhia aérea portuguesa, «N
ão TAP os Olhos», já subscrito por cerca de 100 personalidades e que pode ser lido na íntegra aqui.

do blog "Ladrões de Bicicletas"
i saw you in my dreams. it felt real, a mere moment turned into a temporary forever.
suddenly it becomes real

sábado, dezembro 20, 2014

o encantamento ou the siren song


o encantamento ou
the siren song

o encantamento do Sonho galáctico
apenas começou.
a história da Nave do Tempo Terra
está em posição para entregar a dádiva.
os tons galácticos das treze luas,
a onda encantada do calendário
que abre todas as ondas encantadas.

foto

Igor Vasiliadis 


Fotografia do dia - Aernout Overbeeke

Aernout Overbeeke 
a punch in the stomach

Bob Willoughby - Hollywood the Good Old Days


Retrato de Rutger Hauer, numa pausa das filmagens
de "A Mulher Falcão"

Jane Fonda fotografada em Os Cavalos Também Se Abatem,1969

Retrato de Lee Marvin no set de A árvore da Vida, 1956

Jean Seberg num intervalo das filmagens de Bonjour Tristesse. França, 1957

Judy Garland em Nasceu uma Estrela,1954

Retrato de Audrey Hepburn como Eliza em My Fair Lady, 1963

Elizabeth Taylor no set da MGM para a A Árvore da Vida,1956

Humphrey Bogart,como Capitão Queeg em The Caine Mutiny,1953



Montgomery Clift retrato vertical com sol, barba, durante as filmagens de A Árvore da Vida 1956
Kim Novak durante as filmagens de O Homem do Braço Dourado,1955
Fotos de  Bob Willoughby
via everyday i show

sexta-feira, dezembro 19, 2014

Frase do Dia - João Araújo


“Sócrates está afrontosamente bronzeado, parece que está nas Caraíbas”
João Araújo

GOOD!!!

Para o jogging
Fall Out Boy - Beat it

I vainly try to rejoin the past: I cannot escape



"I have never before had such a strong feeling that I was devoid of secret dimensions, confined within the limits of my body, from which airy thoughts float up like bubbles. I build memories of my present self. I am cast out, forsaken in the present: I vainly try to rejoin the past: I cannot escape."

Sartre, Nausea

Frase do Dia - Mário Soares




"Esta é uma greve patriótica e por isso admiro a coragem dos que a fazem, conscientes do que podem sofrer os portugueses que vivem no estrangeiro e que querem ao menos passar o Natal com as suas famílias em Portugal"
Mário Soares

Privatização do Sol or T of quem lucra com a venda TAP or L a quem terá cabido as luvas? - a maravilhosa puta de vida dos portugueses parte 14

TAP - TRANSPORTES AÉREOS PORTUGUESES



Diz o Governo Ideia Brilhante.
SERÁ QUE PODEMOS EXPORTAR O SOL?

(Boa ideia já seria um balão de oxigénio para as contas públicas)
Diz a oposição
EPÁ MAS VOCÊS NÃO DISSERAM QUE NÃO  IAM PRIVATIZAR O SOL?

Diz o Governo
NUNCA ME OUVIRAM DIZER QUE IA PRIVATIZAR O SOL
TENHAM A SANTA PACIÊNCIA, O GOVERNO NÃO É PARVO,
NUNCA PRIVATIZARIAMOS A NOSSA ÚNICA RIQUEZA

Diz a oposição:
EXPORTAR NÃO VAI DAR AO MESMO?

Diz o Governo
EXPORTAR É VENDER, OS COFRES DO ESTADO FICARIAM
REPLETOS DE DINHEIRO.

Diz a oposição;
SEM SOL PARA QUE QUEREM O DINHEIRO?
Diz o Governo:
O GOVERNO CALA-SE

(falta o assessor para os assuntos do SOL).
amanhã contrata-se o XPT, para tratar deste assunto da exportação
ou eventual PRIVATIZAÇÃO Do SOL
(mas...assessores já são 344).

o Governo pensa:
se exportarmos o SOL, gasta-se mais em luz electrica.
o Assessor aconselha:
aumenta-se no IVA e vamos buscar dividendos à luz.
o Governo diz:
a luz já foi privatizada.
o Assessor para os assuntos de transportes:
subimos as taxas de juros dos empréstimos à banca e aumentamos os tarifários da TAP, da CP etc...
diz o Governo:
a TAP foi privatizada, queriam greve, levaram requisição civil
o representante do ex-sindicato:
tá mal, não podia ter sido. tinham de fazer greve um dia, pelo menos, depois poderiam requisitar a tal coisa civil.
o Governo zanga-se:
sindicatos já não existem, ponto final. acabamos com todos esses vícios
a TAP era uma companhia de BANDEIRA, uma cidade dentro de uma cidade, dava muito dinheiro ao estado.
o Governo irrita-se:
não sei de que bandeira fala
o ex-sindicalista pensa:
(quem lucrou com a venda da TAP? pergunto: quem é que terá lucrado com a venda da TAP? qual deles? o PR? o Coelho? o assessor para os assuntos internos, o ministro dos mares, o Ricardo Salgado,o Ricciardi, o contabilista,  o Durão Barroso; o Pires de Lima, o autarca de Oeiras, o Jardim da Madeira, a filha e o genro do PR,o Armando Vara, o Menezes, o professor Marcelo, o Portas,  o Duarte Lima,  o assessor revitalizante,  a quem terá cabido as luvas? tinha de ser alguém com mãos grandes. o Sócrates não é. está na prisão. desta está safo :)))


assessor para os assuntos internos:
não temos onde ir buscar dinheiro, o tipo das privatizações devia ser dispensado
diz o Governo:
NÃO FUI EU, EU SEMPRE DISSE NÃO ÀS PRIVATIZAÇÕES


Próximas Medidas A serem Tomadas Visarão:
os Media, os Transportes em geral.
As medidas de austeridade vão contemplar os privados,
porque os patrões não são estúpidos aproveitam
a deixa e o patronato vai mandar os seus colaboradores
VIRAR FRANGOS para outro lado.
Regressaremos à idade das trevas, sem Sol.

Assinado:

O ASSESSOR REVITALIZANTE

Passamos a Escravos
Assinado:
Funcionário da TAP - Piloto
os tugas naturalmente invejosos almejam auferir os ordenados dos pilotos e pessoal de voo. digo a esses que telefonam para programas de televisão dizendo que somos uns "reis" e !rainhas!, meus senhores. minha senhoras dou-vos o meu lugar durante oito dias. depois digam-me "coisas". OK?


"Há um risco de integridade física que tem de se assumir e que é permanente e há também o risco de volatilidade da profissão".

quinta-feira, dezembro 18, 2014

hora de ponta - bora ser prostituto?

É nos períodos a.O. e d.O. que vives - é entre eles que vives. Antes do orgasmo, tudo é orgasmo – tudo, queiras ou não, te leva a procurar, de todas as formas que te forem possíveis, chegar lá: ao orgasmo. Pode ser a ler, a escrever, a ver um filme, a dançar, a cantar, a amar, a chorar, a conversar, a rir, a gritar. Tudo é, quando procuras um orgasmo, caminhar para o orgasmo. Tudo é, quando ainda não és orgasmo, orgasmo. E tudo, quando acabaste de ser orgasmo, é tudo – excepto orgasmo. Não entendeste? È natural: já há alguns minutos que não tens um orgasmo. Vai lá novamente. Eu espero.
A vida é um orgasmo por ter. E a morte é o orgasmo absoluto – o orgasmo que não passa. Custa-te a entender? Isso passa. Já sabes como. Vai à tua vida.


Pedro Chagas Freitas in
Eu Sou Deus

Ivo Canelas - Top nº1 - Prémio "Bons Comó Milho" - Personalidades masculinas que se destacaram em 2014

Ivo Canelas como Apeles no filme "Florbela" (2012)



Ivo Canelas
Actor 
Nasceu em 23 Dezembro, 1973 em Lisboa, Portugal


Frequentou o The Lee Strasberg Theatre and Film Institute em Nova Iorque, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.

Da sua actividade em teatro destaca o trabalho com encenadores como Diogo Dória, José Wallenstein, Solveig Nordlund, Fernanda Lapa, Luís Assis, Carlos Avilez, Sandra Faleiro ou Almeno Gonçalves. Foi dirigido por Jorge Silva Melo, entre outras, na peça A Queda do Egoísta Johan Fatzer de Bertolt Brecht (1999).

No cinema participou em A Rainha Margot , Um Rapaz de Lisboa, O Princípio da Incerteza, Alice, Call Girl, Florbela, entre outros. É dos atores mais requisitados para fazer cinema.

Em televisão protagonizou Monsanto de Ruy Guerra, Fuga de Luís Filipe Costa e mais recentemente a série Os Filhos do Rock de Pedro Varela, onde interpreta o radialista  Xavier, figura inspirada em Luis Filipe Barros, locutor bem conhecido dos anos 70

Frases: 
Não gosto do tempo que o projeto novela tem. Não gosto dessa velocidade. Acho difícil encontrar espaço para detalhes e subtilezas.

A insegurança faz parte de quem sou. Já me atormentou mais. Questiona-me. À medida que os anos passam ganhamos mais experiência e técnica. Vamo-nos fortalecendo. Mas esta é uma profissão de desgaste rápido.

Nova Iorque é uma cidade que me interessa do ponto de vista da representação pela enorme oferta que tem. Ali, é possível encontrar actores de todo o planeta, com um talento extraordinário e a mim ajuda-me muito a colocar as coisas em perceptiva. No sentido de que o grau de competição, talento, e a quantidade de pessoas são tão grandiosos... Vêem-se pessoas tão poderosas a fazer papéis tão pequeninos e a lutar tanto para conseguir representar.

Costumo passar pelos noticiários, mas ouço mais as notícias através da rádio. Posso dizer que me divirto muito a ver Dá-las, que passa no Canal Q, acho imensa graça. Tem cenas muito divertidas, adoro o genérico.

Nas séries de televisão tem-se um tempo que não é possível ter em uma hora e meia de cinema. Ou seja, o que é fantástico é que nas séries uma personagem pode mostrar muito mais coisas do aquilo que se pode revelar em uma hora e meia de cinema. Tanto faço teatro, como faria rádio. Representar é um amor. O meio não.

O Estado deveria ajudar a esclarecer as leis do mecenato de forma a que facilitasse as produtoras a arranjar financiamento noutros lados. Aliás, essa medida poderia também trazer vantagens para as empresas. Repare-se: não havendo dependência do Estado impõe-se a necessidade de arranjar uma outra maneira para "furar" no mercado. Os brasileiros já resolveram essa situação há uns 20 anos através de uma clarificação destas leis do mecenato.

É gratificante receber os prémios. Mas, por outro lado, é bom esquecê-los. Os prémios são bons para esquecer, trazem uma falsa segurança.

Arquivo do blogue