segunda-feira, novembro 30, 2009

Mysteries of Love

Sometimes a wind blows
and you and I
float
in love
and kiss
forever
in a darkness
and the mysteries
of love
come clear
and dance
in light
in you
in me
and show
that we
are Love

Sometimes a wind blows
and the mysteries of Love
come clear.

sexta-feira, novembro 27, 2009

Jan Saudek & Sára Saudková


The Portrait of a famous man
Jan Saudek & Sára Saudková

era uma vez.
está diante de vós: ele.
quando escrevo tenho dois sexos.

tu ele.
era uma vez
está diante de vós: ela.

veste-se de amor eu
junta as folhas uma a uma
saberás

quem és tu
quem és eu
tu
ele
ela

poema feito sem rumo
reapareces
suspiro
atónito

foto encontrada na net

quinta-feira, novembro 26, 2009


I can feel the tug
of the halter at the nape
of her neck, the wind
on her naked front.

It blows her nipples
to amber beads,
it shakes the frail rigging
of her ribs.

I can see her drowned
body in the bog,
the weighing stone,
the floating rods and boughs.

Under which at first
she was a barked sapling
that is dug up
oak-bone, brain-firkin:

her shaved head
like a stubble of black corn,
her blindfold a soiled bandage,
her noose a ring

to store
the memories of love.
Little adulteress,
before they punished you

you were flaxen-haired,
undernourished, and your
tar-black face was beautiful.
My poor scapegoat,

I almost love you
but would have cast, I know,
the stones of silence.
I am the artful voyeur

of your brain's exposed
and darkening combs,
your muscles' webbing
and all your numbered bones:

I who have stood dumb
when your betraying sisters,
cauled in tar,
wept by the railings,

who would connive
in civilised outrage
yet understand the exact
and tribal, intimate revenge.

Seamus Heaney

Foto Francesca Woodman

quarta-feira, novembro 25, 2009


promessa atravessa a alma dorme e acorda
a mão estendida aguarda que o vazio seja destruído
a resposta tarda a chegar canto vazio
a minha alma solta-se num suspiro e o sol geme
visto-me para cantar o amor e assim reapareces
a mão estende-se e o teu nome solta-se


foto denis olivier

terça-feira, novembro 24, 2009

If I make the lashes dark and the eyes more bright and the lips more scarlet...


If I make the lashes dark
And the eyes more bright
And the lips more scarlet,
Or ask if all be right
From mirror after mirror,
No vanity's displayed:
I'm looking for the face I had
Before the world was made.

What if I look upon a man
As though on my beloved,
And my blood be cold the while
And my heart unmoved?
Why should he think me cruel
Or that he is betrayed?
I'd have him love the thing that was
Before the world was made.

Yeats

foto laurent benaim

quarta-feira, novembro 18, 2009

Portraits

Foto Philippe Pache
Add caption
There are those who choose to see
and those who don't

For we who with eyes
clouded as they are
can see the hearts
shatter in the chests...
can almost taste the blood...
can nearly take the hands of the drowning
yet the final reach is not for us to make...

the scent of the dead is the stone we carry

Hurl the prayers into a sea of mercy
whose hand holds back the vista of truth
which if we were to see
in all its wrath
would rip the pulse from our hearts

For there is a war
unseen by human eyes
and left for the angels to wage

the thunder of consuming waves
only an echo and smoke
of a fire hidden by Grace
but which in the end
will make the way
for the light that endures

when the dark mirror cracks

K. Rolly


foto joel-peter witkin

segunda-feira, novembro 16, 2009

Destruição



Os amantes se amam cruelmente

e com se amarem tanto não se vêem.

Um se beija no outro, refletido.

Dois amantes que são? Dois inimigos.


Amantes são meninos estragados

pelo mimo de amar: e não percebem

quanto se pulverizam no enlaçar-se,

e como o que era mundo volve a nada.


Nada, ninguém. Amor, puro fantasma

que os passeia de leve, assim a cobra

se imprime na lembrança de seu trilho.


E eles quedam mordidos para sempre.

Deixaram de existir, mas o existido

continua a doer eternamente.


Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, novembro 10, 2009


Faz-me falta
A tua pele na minha
Grito
Pela fome das tuas mãos
Pelo calor
Incandescente do teu desejo
Quero que me inundes
Me desfaças com um beijo
Preciso da vontade
Na rouquidão da tua voz
Diz-me
Que vamos voltar a ser nós.



foto wizfoto.ru

terça-feira, novembro 03, 2009


quando os nossos corpos se separaram
olhámo-nos quase a desejar ser felizes.
vesti-me devagar, mas o corpo a ser ridículo.
disse espero que encontres um homem que te ame
e ambos baixámos o olhar
por sabermos que esse homem não existe.
despedimo-nos. tu ficaste para sempre
deitada na cama e nua
eu saí para sempre na noite.
olhámo-nos pela última vez e despedimo-nos
sem sequer nos conhecermos.

(José Luís Peixoto, cantado por A Naifa)

foto google search

terça-feira, outubro 27, 2009




Yeah, suck that cock
and I will lick that pussy
c'mon
kneel on the bed
and I will fuck you
doggy style
let me listen to your
screams
pants
whimpers
begging for more
and more
as your tiny cunt
clutches to my cock
your moans filling the room
biting your lip
as your fingers dig into the sheets
and I ram into you
again and again
until I hit your cervix
you grip the sheets
panting
crying out
as I shove you further
on the bed
smacking your ass
my balls slapping against your behind
as I go fucking fast
my moans and hot breath
against your nape
while I slam down in you
rubbing your clit
roughly

the erotic book

foto la-martine (pseudonimo)

segunda-feira, outubro 26, 2009



The things we look forward to
the sounds that are familiar
even the pain we know will come when we push on that tooth with our tongue...

Something has to count...
Something must return...
Something has to give...

but tonight
just blow the candle out
and promise not to talk...

-K. Rolly

Foto Andreas Heumann

desnascer


a vontade de nascer por aqui
todos os poemas tristes
são sobre ti, és tu que o dizes

dizem que vives de sonhos
difíceis de tocar e sem reflexo.

escolhi lugar junto à tentação
do que está longe e dependente.

escolher ou esperar pela noite,
mais a vontade de nascer outra vez.



foto alexander shahabalov
foto alexander shakhabalov

domingo, outubro 25, 2009


- pardon, madame?
- pensez-vous!

c'est elle qui rennonce la première à ces paroles banales.
entre elle et moi, le temps...si elle a depuis appris ce qu'est le plaisir, elle ne semble pas imaginer qu'il ait pu en être de même pour moi....

- et vous jouez encore de la guitare?
- quelle guitare?

nous le restons l'un pour l'autre, car nos corps ne se sont pas approchés lorsque nos coeurs s'aimaient. et cette merveille de la volupté dont elle me décrit avec pudeur l'enchantement, comme si elle y avait goûté et mois pas, elle la connait juste assez pour regretter de ne l'avoir pas vraiment éprouvée puisque ce n'est point moi qui l'y ai initiée.

foto ellen von unwerth

pressupus que gostassem um do outro
e ousei fazer essa pergunta pouco precisa,
desgraçada.

ficámos abraçados alguns minutos
desfizémos lentamente o nosso abraço.

como se pudessemos ter ficado agarrados
por qualquer parte que ainda era preciso
agora rasgar.



"intermezzo" de pedro paixão

foto ernestine ruben

sábado, outubro 24, 2009

aleksey & marina - o próximo passo - avatar

second life

femme fatale
dressed to kill
dress
undress
sometimes i feel
you are a part of me
give me the touch
give me...

foto Aleksey and Marina

aleksey & marina - o próximo passo





control to delta
contact the motherfucker
i'm out of control
too much sensation
loose my way sir
good master Slender's
serving-man
no weapons, sir...


foto Aleksey and Marina

Aleksey & Marina - O Próximo Passo




kill
gamble
fuck
feel?
i'm out of control
got to get control
control center...


foto Aleksey and Marina

quinta-feira, outubro 22, 2009


...and as your fantasies are broken in two
did you really think this bloody road would
pave the way for you?

jeff buckley 

foto elena vasilieva

terça-feira, outubro 20, 2009

delírio

Nua, mas para o amor não cabe o pejo
Na minha a sua boca eu comprimia.
E, em frêmitos carnais, ela dizia:
Mais abaixo, meu bem, quero o teu beijo!
Na inconsciência bruta do meu desejo
Fremente, a minha boca obedecia,
E os seus seios, tão rígidos mordia,
Fazendo-a arrepiar em doce arpejo.
Em suspiros de gozos infinitos
Disse-me ela, ainda quase em grito:
Mais abaixo, meu bem! ? num frenesi.
No seu ventre pousei a minha boca,
Mais abaixo, meu bem! ? disse ela, louca,
Moralistas, perdoai! Obedeci…
rafael piffer



sábado, outubro 17, 2009


pegueira e pitonisa
vem com Ártemis, leve e estranha,
vibra do cio subtil da luz,


De Pã! Iô Pã!
Iô Pã! Iô! Pã!


Aleister Crowley

foto Hervé Szydlowski

terça-feira, setembro 22, 2009

Vivo fazendo depender as minhas escolhas das
fantasias, sonhos e imaginação

mas não consigo nem me quero contrariar. quando crescer serei um senhora
.


photo Philippe Pache

domingo, setembro 20, 2009

oiço o som da harpa no ecran do televisor do meu quarto,
enquanto penso nas teclas estafadas daquele piano que

tocámos em conjunto. um dia. dia em que o meu silêncio se fez
através das palavras repetidas pelo outro. desenho incaracterístico
de pó de giz. palavras, palavras escritas. dizíamos céu, e o céu
eram as teclas estafadas daquele piano, quando sorrias para mim,
através de mim. éramos, nessa altura. tu e eu. um dia. oiço o som da
harpa no ecran do televisor, vejo-te a ti e a ele. ele dentro de ti,
nesse lugar que foi meu, que juraste ser meu, sempre. para sempre.
oiço-te ainda através das palavras repetidas pelo outro,
vezes sem conta: insistentes, dominadoras. a voz prepotente de posse
incondicional e dura. recordo-te na visão ele dentro de ti. no meu
lugar. a legitimidade de ser a decisão tua. e aqui ninguém. ninguém.


foto PhiliPPe PaCHe

quinta-feira, setembro 10, 2009

A uma Mulher - Paul Verlaine


A uma Mulher

Pra vós são estes versos, pla consoladora
Graça dos olhos onde chora e ri um sonho
Doce, pla vossa alma pura e sempre boa,
Versos do fundo desta aflição opressora.

Porque, ai! o pesadelo hediondo que me assombra
Não dá tréguas e, louco, furioso, ciumento,
Multiplica-se como um cortejo de lobos
E enforca-se com o meu destino que ensanguenta!

Ah! sofro horrivelmente, ao ponto de o gemido
Desse primeiro homem expulso do Paraíso
Não passar de uma écloga à vista do meu!

E os cuidados que vós podeis ter são apenas
Andorinhas voando à tarde pelo céu
— Querida — num belo dia de um Setembro ameno.

Paul Verlaine, in "Melancolia"
Tradução de Fernando Pinto do Amaral

foto david bellemere

terça-feira, setembro 08, 2009

Male Nude 1

foto dylan ricci


O desenho redondo do teu seio
Tornava-te mais cálida, mais nua
Quando eu pensava nele...Imaginei-o,
À beira-mar, de noite, havendo lua...

Talvez a espuma, vindo, conseguisse
Ornar-te o busto de uma renda leve
E a lua, ao ver-te nua, descobrisse,
Em ti, a branca irmã que nunca teve...

Pelo que no teu colo há de suspenso,
Te supunham as ondas uma delas...
Todo o teu corpo, iluminado, tenso,
Era um convite lúcido às estrelas....

Imaginei-te assim à beira-mar,
Só porque o nosso quarto era tão estreito...
- E, sonolento, deixo-me afogar
No desenho redondo do teu peito...

David Mourão-Ferreira

foto Kevin C Loreaux

terça-feira, agosto 25, 2009



O verdadeiro amor reside em gestos
Da canção aos versos
Dos súditos ao império
Das descobertas aos mistérios
Porque é entrega

O verdadeiro amor é o que navega
Feito o sonho mágico deste instante
Tudo faz sentido e ele sabe
Jamais se esconde

Cabe no teor do que anuncio
Alegra-se por tudo quanto sente
É do outro a voz que se agiganta
Ontem, hoje e todo o sempre

Fernando Costa

Foto Andreas Heumann

Arquivo do blogue