terça-feira, julho 17, 2007

the wonders of the sacred


the girl with a gift
the wonders of the sacred...

foto lillian bassman

os transformados andam por aí.- diz ela
bless you, diz ele
i wonder if.
não há coincidências, diz ele
há sim. há coincidências.- diz ela
vamos ver? bless you
só se desceres daí.- diz ela
mmmmmm, talvez. - diz ele

foto francisca fabula

segunda-feira, julho 16, 2007

i wanna be the star


i wanna be the star
i'm mad about him
i'm waiting for him
that' life, i've got him!
the best is yet to come
so call me irresponsible
get it like you like it
always on my mind
sorry!
 he's mine, mine alone...

ft françois benveniste

sábado, julho 14, 2007


sobre os telhados de novo
uma ave distraída,
vem escutar o rumor do rio
poderás tocar o desconhecido
do teu rosto
de noite, atrevida, por caminhos
proibidos
uma ave distraída
tocar-te-á o rosto

foto baciar

Self Portrait



















duas coisas a meu respeito

gosto de aparecer incógnito e deixar os outros adivinharem quem sou.


assumo tudo o que faço. é uma das características do meu carácter.



foto anders schildt

Pergunta


passion anatomy
as mulheres gostam demasiado
dos homens
ou só lhes interessa
a boa foda?

photo: olaf martens

Resposta


1 2 3 4 5
falta uma
thinking
pensando na resposta
nah! as mulheres amam os homens.
claro, 
os homens não amam as mulheres


foto olaf martens

quinta-feira, julho 12, 2007

Nem quero adivinhar

O que é que tu estás a fazer em mim?
Estou a escrever-me em ti.
Para mim?
Para os que sabem ler.
Amanhã vou para dentro de ti.
Não gosto que invadas assim o meu espaço.
Não sabia que o meu amor era um astronauta.
Não sejas parvo.
Vou para dentro de ti. Sabes onde fica?
Nem quero adivinhar.

Pedro Paixão



Demora-te em Mim

Sanne Sannes - Untitled, 1959-1964
Amor no tengas miedo amor
La vida es dura pero no es cruel
No creas tudo lo que tu ves

Mi amor me dicen que debo hacer
Mucha perguntas sin responder
La vida nos pone pruebas
Yo solo se

Todo es producto de un ambición
Que nunca se saciara
Y si las cosas van mal
Non pierdas nunca tu fe
Después de la tormenta viene la calma


demora-te em mim

terça-feira, julho 10, 2007

ode a um filho




és o chão do meu quarto onde vivo,
habito. és o meu chão. és o meu cheiro.
o cheiro do amor que levaste sem querer.
o hoje és tu. o ontem tu és. o amanhã
no quarto do filho guardado. o teu retrato
fechado em mim. na secura da minha boca
nu. no fundo das palavras, nas lágrimas.
lágrimas que não ficam. sou o teu filho.
és o meu filho. o homem. a mulher eu sou.
tu és. o ontem. o hoje.
o amanhã. eu sou.

segunda-feira, julho 09, 2007

Ode a Um Filho


beijo-te. vejo-te. ali onde ainda moras.
nas roupas. nas coisas. no nada feito amor.
no tudo feito nada.
no quarto. filho beijo-te.
o quarto do filho é o teu chão. o chão onde.
onde me deito, o chão. cheiro. macio de mãos.
do amor feito tudo. do nada feito nada. beijo-te.


foto elena vasilieva

quarta-feira, julho 04, 2007


A verdade. Passei a noite sozinho. É teu rosto que encontro.
Como tempo simulável, no branco negro imenso. Grito. Já não
moras aqui,o teu reflexo nas águas como águas. Morreste-me.
A tua terra agora És. R. Ser de nunca ser, faca afiada, lume
brando. Teu rosto encontro feito grito.

foto arno rafael minkinnen
as tuas palavras afundam-me seguro-me
és réstea de luz nas águas como águas.
as madeiras a que me agarro é a cruz.
e mordo. M. vem liberta-me desta dor.

dor. vem. esperas-me. eu. todo.



foto arno rafael minkkinen

Arquivo do blogue